CONSIGNADO - GOLPE DO COLCHÃO MILAGROSO, quase faz um nova vitima com R$24 mil!

O Jornal do Sudoeste destacou ontem uma ação rápida que evitou mais um golpe do colchão milagroso, nesse contexto o crédito consignado é parte fundamental.

 

Novamente idosos foram vítimas do famoso “golpe do colchão”, uma tentativa de venda que superfatura o preço de colchões comuns e mantas massageadoras que tem preço de mercado em torno de R$ 400, mas chegam a ser vendidos por valores entre 6 e 12 mil reais. Desta vez, um idoso, 62 anos, com problemas auditivos e que faz tratamento junto ao CAPS, foi a vítima de vendedores.

 
Conforme relata o coordenador do Procon Municipal, Fábio Martins de Lima, o idoso foi abordado pelos vendedores em sua residência, que teriam se aproveitado das condições da vítima para vender dois colchões “milagrosos”, no valor total de quase R$ 25 mil reais. A vítima se encontrava sozinha em sua residência no momento do ocorrido e no dia seguinte, esses mesmos vendedores foram busca-lo no  CAPS onde é atendido.

 
De acordo com a neta da vítima, quando familiares perceberam o que tinha acontecido, chegaram a tentar cancelar a compra com a empresa responsável pela venda, mas sem sucesso. “Eles chegaram a falar que nós só estávamos preocupados com o dinheiro do meu avô, que não nos importávamos com a saúde dele. Para se ter ideia, eles falaram tanto na cabeça da minha avó, que sofre de Alzheimer, que agora ela só fala neste colchão, mas é um absurdo, o valor era de quase R$ 25 mil”, destaca.

 
Graças a ação rápida da família, que percebeu o golpe a tempo, e procurou o Procon, que por sua vez auxiliou, o contrato foi cancelado, pois tem um prazo de até sete dias para a desistência. “O grande problema é quanto vence esse prazo, quando isso acontece nós ficamos sem ter como agir”, destaca o coordenador do Procon.

 
Entre setembro e outubro, outras três vítimas em Paraíso, todas com o mesmo perfil – pessoas idosas com idades entre 64 e 86 anos – caíram na lábia dos vendedores. Fábio destaca que essas pessoas geralmente são representantes de empresas que realizam empréstimos consignados, e justamente por isso conseguem casar a compra do colchão para ser paga por meio deste empréstimo.

 
O coordenador alerta ainda para que quem tenha passado por uma situação similar, que procure o Procon para que possa cancelar essas compras. Segundo ele, o prazo é de sete dias para desistência, conforme prevê o Código de Defesa do Consumidor.

 

Fonte: http://jornaldosudoeste.com.br/noticia.php?noticia=2077

Exibições: 161

Os comentários estão fechados para esta mensagem de blog

Mensagens de blog

INSS disponibiliza novos serviços pela internet

Postado por Modera em 17 outubro 2017 às 10:00 0 Comentários

Para isso, 3,2milhões de usuários já se cadastraram no site e não precisam ir ao INSS para obter esses documentos.

 

alagoas24horas

Os…

Continuar

Cartilha REFORMA TRABALHISTA - O QUE MUDOU?

Postado por Modera em 16 outubro 2017 às 10:30 0 Comentários

 

Dessa forma, o Sebrae-SP, sabedor da importância que as MPEs representam nas relações de trabalho, desenvolveu essa cartilha para orientar você, empreendedor responsável por um pequeno…

Continuar

Ranking de Instituições por Índice de Reclamações

Postado por Modera em 16 outubro 2017 às 10:00 0 Comentários

Ranking de Bancos e Financeiras reclamações contra instituições financeiras referente ao terceiro trimestre de 2017.

 

É só…

Continuar

CONSIGNADO - GOLPE DO COLCHÃO MILAGROSO, quase faz um nova vitima com R$24 mil!

Postado por Modera em 11 outubro 2017 às 14:17 0 Comentários

O Jornal do Sudoeste destacou ontem uma ação rápida que evitou mais um golpe do colchão milagroso, nesse contexto o crédito consignado é parte fundamental.

 …

Continuar

© 2017   Criado por Modera.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Política de privacidade  |  Termos de serviço